Dos recreios para uma carreira: Aluna dos Salesianos do Estoril joga na Seleção Nacional de Futebol de Sub-16

Salesianos do Estoril > Notícias > Dos recreios para uma carreira: Aluna dos Salesianos do Estoril joga na Seleção Nacional de Futebol de Sub-16
Maria Chaves

Maria Chaves, aluna dos Salesianos do Estoril, integra a Seleção Nacional de Futebol sub-16 feminino. A sua formação começou na Escola de Futebol dos Salesianos do Estoril.

O caminho da Maria, na sua carreira no futebol, começou desde cedo. De uma descoberta da modalidade em jeito de brincadeira, durante os recreios da escola, para uma prática profissional no Sporting Clube Futebol, as bases alicerçaram-se durante a sua prática desportiva na Escola de Futebol dos Salesianos do Estoril. Aos sete anos de idade a aluna começou a frequentar os Salesianos do Estoril e, ao longo dos anos, a sua atração pela modalidade foi crescendo. Integrou a formação desportiva nas modalidades de futebol e, mais tarde, de voleibol, onde participou em diversos campeonatos e nos Jogos Nacionais Salesianos.

Aos 11 anos, foi “descoberta” por observadores do Sporting Clube Futebol onde, depois de um processo de provas de captação, acabou por integrar a equipa. É neste clube que tem desenvolvido a sua carreira profissional desportiva. Fez parte da Seleção Distrital de Lisboa e, neste momento, integra a Seleção Nacional de Futebol sub-16 feminino, tendo feito a sua primeira internacionalização este ano a 24 de janeiro.

Um importante marco da sua carreira é usar desde cedo a braçadeira de capitã. “Uma capitã, acima de tudo, tem de ter a capacidade de comunicar, tanto com os treinadores como com as suas colegas de equipa”, explica a atleta. Em jogo, a posição de defesa que ocupa permite-lhe ter uma visão de jogo que ajuda a equipa e, em balneário, cuida e orienta na organização e na disciplina. Maria afirma que a exigência e o rigor aprendidos na formação escolar nos Salesianos do Estoril a ajudam a ser melhor desportista. “Numa equipa, temos de estar todas ligadas. Estes valores são muito importantes para reter e acabo por transmitir isso para o desporto. O facto de a escola ser uma escola exigente, exige mais de mim. E isso também me ajuda a ser mais rigorosa no desporto”, conclui.