Notícia / Destaque

JANEIRO, 2018. MÊS DE DOM BOSCO.


jan 16, 2018


Caros Amigos e Amigas,
Educadores e Educadoras Salesianos
da Comunidade Educativa dos Salesianos do Estoril
 
Aproveito o dia 16 de janeiro, (Dom Bosco nasceu a 16 de agosto de 1815) para saudar a todos. Gostaria de o fazer COMO DOM BOSCO faria a cada um de vós que diariamente percorrem os espaços desta nossa Casa onde, de algum modo, se prepara remotamente o futuro dos nossos jovens, adolescentes e crianças, como outrora Dom Bosco e os primeiros salesianos fizeram no Oratório de Valdocco.

 
No início deste novo ano fomos convidados a invocar sobre nós e sobre as nossas famílias a bênção de Deus nos seguintes termos: O Senhor nos abençoe e nos guarde. O Senhor nos mostre o Seu rosto e tenha misericórdia de nós. O Senhor volte para nós o seu olhar e nos dê a paz.
Há nesta bênção algumas atitudes educativas que faremos bem assumir e pôr em prática na nossa atividade profissional de educadores cristãos.

 
Antes de mais, é Deus que nos guia e guarda. De mãe Margarida, Joãozinho Bosco aprendeu a olha o céu e a reconhecer que todo o mundo criado é obra de Deus. Pois é “n’Ele que vivemos, nos movemos e existimos” (Act 17,28).
 
Em segundo lugar, vivemos no tempo, mas estamos destinados à eternidade. Cada dia é portanto um dom que renova a vida e nos encoraja a procurar o rosto de Deus e a deixar-nos envolver na sua misericórdia. Dom Bosco desafiava continuamente os seus jovens a tornarem-se buscadores de Deus, confiando inteiramente na sua misericórdia de que Dom Bosco educador era imagem fiel.
 
Em terceiro lugar o Senhor que nos alimenta contínua e gratuitamente com o seu amor oferece-nos todos os dias a possibilidade de intensificar a nossa relação com Ele. Por isso Dom Bosco recomendava aos seus jovens a reconciliação frequente, acolhendo deste modo o olhar misericordioso de Deus e a sua paz, uma vez que “a Paz nasce de um coração reconciliado” (Paulo VI); “Não há paz sem perdão” (S. João Paulo II); A Paz constrói-se sobre quatro pilares indicados por João XXIII: verdade, justiça, amor e liberdade. Viver pacificados é importante para nós educadores, dado que a nossa missão educativa depende da atitude serena junto do educando e do “fogo que arde sem se ver”, transformando o ato educativo num “ato de amor” (A. Anjos)
 
Por último, sabemos que os resultados, sejam eles quais forem - e muito mais os educativos -, dependem de muitos fatores incontroláveis. Por isso nesta nossa missão educativa vale a pena confiar em Deus, acreditando no Amor que Ele nos tem.
 
Assim brilhará em nós a alegria da comunhão e da partilha, exultaremos perante o dever cumprido de educar e evangelizar os jovens em vista da transformação do mundo, como honrados cidadãos e discípulos de Cristo, tomando como modelo Dom Bosco.
 
Aceitemos seriamente o desafio de acompanhar os nossos educandos no seu caminho de crescimento em vista da maturidade. O desejo de todos deve ser que os jovens inseridos na comunidade e na sociedade e acompanhados nos processos de escolhas, possam descobrir o seu projeto de vida e realizá-lo com entusiasmo e alegria, abrindo-se ao encontro com Deus e com os Irmãos e participando ativamente na edificação da comunidade humana e da sociedade.
 
No dia 31 de Janeiro festejaremos S. João Bosco.
Recomendemos durante este mês os nossos jovens, adolescentes e crianças à sua proteção paterna.
 
Voltamo-nos para ti, Dom Bosco,
que jamais desistes de ser um ponto de referência
para todos os jovens e para quem tem a peito o seu verdadeiro bem.
Dá-nos a capacidade
de ver os jovens com o teu olhar;
de ser no meio deles presença educativa significativa e atenta;
de acolher as suas necessidades e os seus sinais;
de saber encorajar e fazer emergir os seus melhores recursos,
de os acompanhar para que tomem nas próprias mãos a sua vida e o próprio futuro.
Dá-nos a capacidade
de os amar com o teu coração;
de estarmos sempre do seu lado
de defender os seus direitos,
de os encorajar a que vivam a vida como um dom, sentindo-se filhos muito amados de Deus.
Faz com que sintamos sempre ao nosso lado
a tua presença que sustenta o nosso caminhar
para vivermos na esperança
e nos empenharmos seriamente no presente. Ámen.

 

16 de janeiro de 2018  

P. Artur Pereira | Diretor                              
Salesianos do Estoril